Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Porsche Type64’

Abaixo, fotos tiradas no Museu de Protótipos de Hamburgo (www.prototyp-hamburg.de ), durante o último final de semana. Em exposição duas reconstruções: O sexto protótipo para testes do que viria a ser o Fusca (type 60), ainda feito completamente à mão na época, e o segundo Type 64 de três (ou quatro) fabricados.

Ambos saídos da cachola de Porsche, ambos de 1938, ambos reconstruídos.

Negro é lindo.

Read Full Post »

O ano de 1938 foi de intensa agitação no escritório do Dr. Ferdinand Porsche. Os protótipos do Volkswagen já andavam longas distâncias pelas ruas alemãs, retornando à base com relatórios que sugeriam mudanças e aperfeiçoamentos.

Enquanto buscava a versão definitiva do carro das massas de Hitler, Porsche encarou outro ambicioso projeto. Estava marcada para o ano seguinte (1939), uma prova pelas estradas que cobriam a distância de aproximadamente 1600 quilômetros entre Berlim e Roma. Era do interesse da indústria alemã seguir afirmando a sua superioridade tecnológica sobre os demais países, e o projeto foi encarado.

Utilizando o que tinha ao seu dispor, Porsche criou três protótipos batizados de Type 64. Nasciam os veículos identificados como 38/41, 38/42 e 38/43. Com formas fluidas no melhor estilo streamline da época, moldadas à mão em alumínio, sobre um chassis levíssimo, o carro sugeria velocidade e performance.

Compartilhando peças mecânicas e de acabamento com os protótipos do Volkswagen, Porsche idealizou um veículo equilibrado, com motor entre-eixos, tanque e dois estepes perfeitamente distribuídos. O motorista ia sentado quase no centro, tendo a bateria do seu lado. O motor era uma evolução do 1100cc de 22cvs. Com dupla-carburação, e motor retrabalhado, chegava próximo aos 55cvs que, somados a caixa longa, levavam o leve bólido a velocidades superiores a 150km/h. O velocímetro originalmente dos Kdf (VW pré-guerra) ganhou, inclusive, uma nova escala para as velocidades mais altas do Type 64.

Com a eclosão da segunda guerra mundial tudo mudou, e os três protótipos tiveram destinos bem diferentes.

O 38/41, primeiro protótipo com licença k45-240, foi completamente destruído em um ataque durante a guerra, tendo algumas partes resgatadas e guardadas pela equipe de Porsche.

O 38/42, de licença IIA0701, sofreu um forte acidente durante os testes de desenvolvimento.

Foi então totalmente reformado pela equipe de Porsche, com todos os melhoramentos que percebeu necessários durante os testes. Com a eclosão da guerra o veículo foi escondido em um galpão de uma escola de vôo, para depois ser encontrado por tropas americanas. Os americanos gostaram do brinquedo, serraram o teto e usaram o carro sem dó, até fundirem o motor e o largarem de mão. Quando a equipe de Porsche reencontrou o 38/42, ele estava tão destruído que não foi recuperado, mas suas partes foram preservadas.

O pouco restante foi comprado pela equipe do Museu de Protótipos de Hamburgo (www.prototyp-hamburg.de ), que o reconstruiu fielmente seguindo fotos e documentação de época nos últimos meses. Um belo trabalho de garimpo e construção de acabamentos e carroceria foi realizado, nas fotos abaixo um pouco da história do 38/42, até o resultado final no mês passado.

O 38/43, de licença T2-222, foi utilizado pela família Porsche durante muito tempo. Era ferramenta de divulgação da marca de esportivos que nascia, recebeu inclusive pela primeira vez a inscrição Porsche no capo, enquanto os primeiros 356 nasciam.

No ano de 1947 Ferry Porsche entregou o veículo para Pininfarina, para ser completamente recuperado. No ano de 1949 este veículo foi vendido para o piloto Otto Mathé como um Porsche, não mais como um protótipo Volkswagen, como nascera. Otto era piloto de motocicletas, mas um acidente em 1934 destroçou um de seus braços. O 38/43 teve inclusive a direção trocada de lado para se adequar as deficiências físicas de seu novo dono.

Com o 38/43 de chapa T2222 Otto venceu um Rallye internacional em 1950 e se fez presente em diversas provas da época, o aposentando no Festival de carros clássicos de Monterey do ano de 1982. Este carro permanece então nas mãos de um colecionador, exatamente do modo como Otto o deixou, após falecer, no ano de 1995.

**********

Bibliografia para esse post:

http://www.dieselpunks.org/profiles/blogs/lord-ks-garage-46-porsche

http://strangevehicles.greyfalcon.us/Porsche.htm

http://www.thesamba.com

Read Full Post »